Você sabe o que é capital de giro? Entenda porque ele é importante em momentos de crise

Muitas empresas estão passando por dificuldades e temem enfrentar o temido “fantasma” do fechamento.

O que muitos não sabem é que o capital de giro pode e deve ser usado em situações assim, para garantir o funcionamento, a reinvenção e até mesmo a sobrevivência do seu negócio.

Se você não entende bem como funciona o capital de giro e quer saber como ele pode te ajudar nesse momento de crise, leia a seguir o conteúdo que preparamos para você:

 

O que é Capital de Giro?

Basicamente, o capital de giro (ou ativo circulante) é uma reserva financeira que as empresas devem possuir a disposição para desempenhar suas atividades diárias, ou seja, girar.

Representa os bens que a empresa possui e que podem ser transformado em capital dentro de um curto prazo, exemplo: dinheiro em caixa, saldo da conta corrente bancária, contas a receber, mercadorias e aplicações financeiras.

É imprescindível considerar que o capital de giro é a parcela resultante da diferença entre o dinheiro que a empresa possui disponível e o dinheiro que deve ser usado para quitar as dívidas.

Isso vale para gastos necessários para a comercialização e prestação de serviços, pagamento de despesas fixas e também para manter uma reserva para emergências.

 

Como calcular o capital de giro?

Para calcular o capital de giro, usa-se a fórmula CGL = AC – PC. Essas siglas correspondem, respectivamente, a Capital de Giro Líquido, Ativos Circulantes (total de dinheiro disponível para gastos) e Passivos Circulantes (fontes de recursos existentes).

 

Principais riscos para de um mau controle:

Os riscos operacionais aumentam consideravelmente quando se trabalha com um baixo capital de giro. Logo, a empresa fica mais suscetível a um caixa negativo, o que compromete o bom funcionamento das atividades.

E em situações como a que estamos passando, que exigem a paralisação das atividades, não ter reserva para se manter é um grande risco. O que percebemos é que a falta de planejamento financeiro leva a má decisões, como por exemplo recorrer a agiotas e a empréstimos em instituições que cobram taxas altíssimas. 

 

Por que o Capital de Giro é tão importante em momentos de crise?

Em momentos de crise vivemos períodos de incerteza, e é do capital de giro que a empresa conta para honrar os compromissos como o pagamento de funcionários e de contas, por exemplo.

Por isso, analisar os cenários otimistas e pessimista constantemente é tão importante, para não ser pego totalmente de surpresa caso aconteça esse tipo de situação.

Sem um valor disponível para capital de giro, as chances da empresa entrar no vermelho ou quebrar são altas, afinal, a entrada de recursos fica escassa e os investimentos são necessários para se reinventar no mercado.

 

Mas o que fazer se minha empresa não contar com uma reserva de valores suficiente para atravessar essa crise? 

Procure por instituições sérias e confiáveis, como o ISF, que possui mais de 20 anos de tradição e diversas linhas de crédito disponíveis para micro, pequenos e médios empreendedores.

 

Acesse isfcredito.com.br e conheça mais sobre nós ou entre em contato pelo e-mail [email protected] ou Whatsapp(34) 9 9116-8430.

 

Tudo que você precisa saber sobre empréstimo online confiável

Atualmente é possível encontrar de tudo na internet, de uma agulha até onde se hospedar. Inclusive, fazer compras online já se tornou um hábito para muitas pessoas. Logo, por que não contratar um empréstimo online também?

Mesmo tendo um comportamento completamente digital, a maioria das pessoas ainda possui bloqueios mentais quando o assunto é pegar dinheiro emprestado, pois estão acostumadas com as formas tradicionais.

Contudo, é preciso abrir os olhos para a inovação das plataformas digitais de crédito, que usam a tecnologia para revolucionar o mundo dos empréstimos tradicionais.

Com isso, micro e pequenos empreendedores já começam a procurar por opções online, e podem deixar de lado o banco tradicional para garantir fundos através de um provedor online.

Quer entender como funciona o empréstimo online confiável? Leia a seguir tudo que você precisa saber sobre o assunto:

O empréstimo online é mais rápido e fácil

Tudo ocorre digitalmente em empréstimos online, ou seja, você gasta menos tempo, afinal não precisa enfrentar filas. A documentação exigida também é mais simples em comparação com empréstimos bancários.

Na maioria dos casos, você deve fornecer alguns documentos. Para empresas, os mais comuns são:

  • Balanço Patrimonial;
  • Contrato social com última alteração;
  • Extratos bancários recentes da conta PJ;
  • DRE (Demonstração de Resultados);
  • Relatório de Endividamento.

O melhor é que você pode enviar os documentos solicitados de forma digital. 

Critérios de elegibilidade mais simplificados

Conseguir a aprovação de empréstimo empresarial online é muito mais simples do que conseguir a aprovação pelo banco. Isso ocorre por que os bancos tradicionais têm muitos critérios de elegibilidade, como pontuação de crédito e nível de relacionamento com a instituição, por exemplo. 

Diferente dos bancos, as fintechs não exigem um grande histórico de movimentações financeiras e você pode ser aprovado para a operação mesmo que nunca tenha interagido com a empresa financiadora antes.

Ressaltamos que a plataforma de empréstimo usará as informações pessoais, financeiras e ocupacionais inseridas por você para avaliar credibilidade.

Deste modo, é importante ter ao menos um bom perfil de crédito, ou seja, IRPF compatível com valor desejado, score alto no SPC/Serasa e um fluxo de caixa que suporte as parcelas contratadas.

Assim, você passa a ser facilmente elegível para obter um empréstimo de uma plataforma online.

Juros mais baixos no empréstimo online

Os bancos cobram taxas de juros grandes em empréstimos para empresas, uma vez que não utilizam a modalidade que pede garantias. O contrário ocorre com as plataformas digitais, como o ISF, que possuem taxas de juros competitivas e empréstimo com garantia.

Sem taxas e encargos ocultos

Sabe as famosas entrelinhas? Infelizmente elas são comuns em contratos com instituições de crédito tradicionais, com taxas e encargos escondidos. Entretanto, à medida que o processo começa, novos tipos de taxa ou encargo vão surgindo e tomando seu dinheiro.

Com empréstimos online, esse não é o caso. Não existem encargos ou taxas ocultas, tudo funciona de forma clara, indicando taxas e prazos detalhadamente.

Experiência pensada para o usuário

As fintechs vieram justamente para preencher essa lacuna na qualidade do atendimento. Mais importante quanto conseguir o empréstimo, é garantir uma experiência satisfatória para o usuário, do início ao fim de todo o processo.

 

Sendo assim, quando você precisar de um empréstimo, tenha certeza de incluir o ISF na sua lista de escolhas. Afinal, com tantos benefícios, por que não optar por empréstimos online? Contratar empréstimo empresarial no ISF é rápido, é fácil e é mais barato.

Vou me casar, devo pegar um empréstimo para pagar as despesas?

Fazer uma festa de casamento dos sonhos, comprar o primeiro imóvel e ter uma lua de mel inesquecível, que noiva (o) nunca sonhou com isso?

Se você está nesse processo, certamente sabe que os custos para iniciar uma vida a dois são altos. Antes de subir ao altar e dizer o tão esperado “sim” é preciso tomar diversas decisões que devem ser realizadas em conjunto.

O mesmo vale para um empréstimo, nesse caso ter informações é fundamental para saber qual a melhor escolha, uma vez que uma dívida mal escolhida também vai influenciar a vida financeira conjunta do casal.

Sendo assim, se você tem dúvidas sobre se deve solicitar crédito para pagar as despesas, leia atentamente este texto:

Faça questionamentos pertinentes:

A realidade é bem diferente do que sonhamos e em um casamento muitas coisas fogem do que planejamos. Antes de decidir entre pegar um empréstimo ou não, vale entender todas as escolhas e ver o que fazer em cada situação.

Por isso, faça essas perguntas para você mesmo:

  • Qual é a prioridade? Festa de casamento ou viagem de lua de mel?
  • Qual será o tamanho da festa de casamento?
  • A viagem de lua de mel será nacional ou internacional?
  • Vão morar de aluguel ou comprar imóvel próprio?
  • Planejam ter filhos?

É primordial que suas escolhas e as respostas para essas perguntas estejam alinhadas com a sua realidade financeira e o principal: que você se planeje para chegar lá de forma consciente e sem dar um passo maior do que  pode.

Festa de casamento e lua de mel

A festa de casamento e a lua de mel são investimentos que demandam gastos maiores. Por isso, contratar um empréstimo pessoal é válido para desafogar o casal destes custos.

Mas tenha cautela, coloque na balança a importância que você dá para cada um desses itens, considerando os prós e contras. A hora certa para confrontar o sonho com a realidade é agora. Por isso, tenha em mente que cada escolha pode significar que algum outro objetivo importante fique para depois.

Casa própria ou aluguel?

Escolher onde e como morar é uma decisão que pode acabar ficando em segundo plano, mas não deveria ser assim!

Comprar um imóvel é o sonho da maior parte dos brasileiros, afinal, ter a casa própria é uma conquista. Mas, com o nível da taxa de juros no país, é interessante permanecer no aluguel por um período e acumular uma quantia razoável, de pelo menos 30% do total do imóvel para dar de entrada.

De todo modo, o indicado é balancear entre a necessidade e o sonho, buscando encaixar tudo dentro do seu orçamento. Se for necessário pegar um empréstimo pessoal, busque uma instituição séria e de confiança, como o ISF por exemplo. 

 

Faça sua simulação de crédito gratuita, acesse o site do ISF ou entre em contato pelo WhatsApp.

 

Como funciona o empréstimo para autônomos e MEIs?

É normal passar por crises financeiras ou até mesmo precisar de dinheiro para investir. O que muitos não sabem é que existem linhas de crédito que podem ser usadas para impulsionar o desenvolvimento de um negócio.

Com o dinheiro, o empresário pode investir em equipamentos, levantar capital de giro e até pagar contas em atraso e em muitos casos, pedir um empréstimo pode garantir a sobrevivência do negócio no mercado. 

Mas como conseguir acesso a crédito? Leia a seguir e entenda como funciona o empréstimo para autônomos e Meis.

Principais modalidades de empréstimos

Hoje em dia o autônomo e/ou microempreendedor individual encontra diversas opções de crédito disponíveis, mas há duas modalidades que se destacam e trazem mais vantagens, são elas:

  • Empréstimo com garantia: oferece condições de pagamento diferenciadas, com os menores juros do mercado e com prazos mais longos. Por permitir o acesso a quantias elevadas, tem se popularizado no Brasil.

A dinâmica dessa modalidade ocorre através da disponibilização de um bem (do solicitante do empréstimo) como garantia de pagamento a instituição financeira.

Fique tranquilo, a posse continua sua e você pode continuar usando seu carro ou casa normalmente durante o processo. Todo esse procedimento é chamado de alienação fiduciária.

  • Microcrédito: esse tipo de empréstimo atende micro e pequenos empreendedores que possuem pouco dinheiro para começar ou investir no negócio.

O microcrédito da a empresa a possibilidade de reformar as instalações, aumentar o capital de giro e adquirir maquinário, por exemplo, sem ter que esperar anos para juntar os recursos necessários. Inclusive, depois você pode pagar a dívida com o próprio lucro.

Como contratar? (falar de negativados)

Primeiramente, saiba reconhecer uma credora confiável. Instituições sérias são regulamentadas pelo Banco Central, sempre consultam detalhadamente o CPF e CNPJ da empresa e de seus donos. Igualmente, não pedem valores antecipadamente como sinal. 

Para os negativados que têm interesse em solicitar esse tipo de empréstimo, é importante dizer que a aprovação do empréstimo é possível, contudo, com taxas um pouco mais altas ou a liberação de valores seja menor. 

A comprovação de renda também é solicitada, porém devido ao crescimento expressivo de trabalhadores autônomos e microempreendedores no Brasil, as instituições financeiras têm buscado novas possibilidades para conceder crédito. 

Como comprovar renda?

As principais  possibilidades de comprovação de renda são:

  • Apresentação de extrato bancário dos últimos três ou seis meses;
  • Comprovante de Imposto de Renda, se houver;
  • Apresentação de contratos e recibos de serviços prestados.

Onde contratar?

Hoje em dia existem diversas opções para você solicitar um empréstimo e acredite, é possível solicitar sem sair de casa!

Instituições confiáveis que atendem online têm se popularizado, um exemplo é o ISF Crédito Orientado, que é 100% seguro e confiável. A empresa é regulamentada pelo Banco Central e está a mais de 20 anos no mercado, além disso fornece um diagnóstico financeiro gratuito e linhas de crédito com as menores taxas e o melhor prazo.

Conheça mais sobre o ISF, siga nossas redes sociais (Facebook, Instagram e Linkedin) e confira mais dicas para turbinar a sua gestão financeira!

Entenda por que pegar dinheiro com agiota é crime

Todos nós passamos por situações em que falta dinheiro para pagar dívidas ou até mesmo para as despesas básicas, como alimentação, luz e água.

Porém, nem todos podem pedir emprestado para familiares ou usar o cartão de crédito para socorrer nestes momentos e assim, acabam recorrendo a agiotas.

Mas essa prática é a pior solução para sair do vermelho, pois é crime!

Para você entender melhor porque não deve pegar dinheiro com agiota, leia o artigo a seguir:

1. Agiotagem é crime

Primeiramente, agiotagem é crime! Ao pegar dinheiro com agiotas você estará sendo vítima de um crime e indiretamente, apoiando práticas ilícitas.

Muita gente não sabe disso, mas segundo o Sistema Financeiro Nacional, o ato de emprestar dinheiro sem autorização prévia do órgão competente, o Banco Central do Brasil, conforme prevê Art. 7º da Lei 7.492/86. Essa infração tem pena de 2 a 8 anos de prisão e multa.

2. Agiotas cobram juros injustos e irregulares.

Às taxas cobradas por agiotas são extremamente injustas e irregulares, uma vez que eles não são autorizados por órgãos reguladores a emprestar dinheiro. Reivindicam muito além do teto de juros que é permitido cobrar pela lei, por isso é caracterizado como um crime que ludibria o consumidor.

Antes de mais nada, lembre-se que agiotagem é golpe, por isso cobram um preço alto para poder enriquecer às custas de quem está negativado ou com score baixo no Serasa. O que acontece na maioria das vezes é a pessoa precisar com urgência de dinheiro e infelizmente, acaba aceitando as “regras” deles.

Sem falar quando é cobrado um depósito com antecedência, como uma espécie de sinal e assim, apoiando indiretamente o crime de agiotagem e até mesmo o de estelionato.

3. Pedem seus bens como garantia

Sempre desconfie das ofertas que a princípio oferecem inúmeras vantagens, mas não geram nenhum tipo de comprometimento entre você e o credor. Não cobrar comprovante de renda, não consultar os órgãos de defesa do consumidor e não pedir nenhum documento são alguns dos exemplos de indícios de golpe.

Toda essa facilidade tem um custo alto para você, que é o pedido de bens como garantia. Se você tem carro, casa, jóias e bens de maior valor fique sabendo que com certeza eles serão pedidos como garantia na condição de “reduzir” a taxa de juros, ou até mesmo pedir depósito adiantado.

Não caia nessa furada! Essas garantias muitas vezes são muito maiores que o próprio pedido de empréstimo e se algo der errado você será forçado a cumprir com o prometido, não poderá recorrer Banco Central ou ao Procon para te ajudar.

4. Cobrança perigosa

Como já dito, os agiotas agem fora da lei e por isso os métodos de cobrança usados por eles costumam também fugirem da lei.

Violência física e psicológica, ameaças, perseguições e exposição da vida da pessoa são algumas das práticas feitas para cobrar o devedor. Sendo assim, percebe-se que o medo é sempre a principal ferramenta de trabalho deles, forçando você a fazer o que eles desejam e te desencorajando a procurar a polícia.

 

Percebeu como é perigoso se envolver com essa prática e como pegar empréstimos com agiota pode trazer diversos prejuízos a você, como apoiar o crime por exemplo?

Peça empréstimo pessoal ou empresarial em uma instituição financeira séria, regulada pelo Banco do Brasil e com mais de 20 anos de experiência. Simule seu empréstimo no ISF clicando aqui.

7 práticas para organizar o setor financeiro da sua empresa

A organização do setor financeiro de uma empresa é essencial para o seu crescimento e sucesso. Contudo, organizar as finanças não é uma tarefa fácil, demanda muita disciplina, trabalho e controle para que tudo funcione sem grandes problemas. Assim, para te ajudar nesse processo separamos 7 práticas que vão auxiliar na organização do setor financeiro da sua empresa. 

Antes de tudo é importante nunca misturar gastos pessoais com as finanças da empresa, deixe sempre tudo separado. Assim, será possível fazer levantamento de gastos, lucro, estoque, capital de giro e manter organizado todo o setor financeiro, o que evitará grandes problemas. 

1. Mantenha a disciplina e a organização

Essas duas características são fundamentais para o sucesso de qualquer negócio já que o setor financeiro é responsável pelo desenvolvimento da empresa, garantindo que as metas sejam alcançadas e evitando grandes problemas. 

A organização e a disciplina permitem planejar, controlar e acompanhar todo o movimento financeiro, o que torna possível criar metas e objetivos como, por exemplo, obter lucro depois de um ano e meio de negócio. Sem essas características fica muito mais difícil e arriscado construir e manter uma empresa de sucesso. 

Por isso, é preciso acompanhar regularmente os indicadores de desempenho, faturamento, gastos, margem de lucro, entre outros. Esse acompanhamento deve ser ainda mais rígido nos casos das empresas de pequeno e médio porte que são mais frágeis que as grandes empresas. 

2. Estabeleça prazos concretos

Lidar com prazos é inevitável em qualquer área, mas em uma empresa isso se torna ainda mais recorrente. É preciso ter o controle de todos os prazos de pagamento de funcionários, fornecedores, dia de recebimento, vencimento de contas, compra de estoque, entre outros. 

Esquecer algum prazo pode resultar num grande prejuízo para todo o negócio e até mesmo gerar dívidas. É por meio do controle dos prazos que será possível organizar o fluxo de caixa, estabelecer prioridades, observar a necessidade de corte de gastos, evitar dívidas, entre outros. 

3. Defina um orçamento anual

Ao longo do ano surgirão oportunidades que podem ser muito interessantes para o negócio, contudo, é preciso analisar com cautela cada possibilidade e proposta a fim de escolher aquela que realmente irá agregar à sua empresa. 

Assim, é interessante definir um orçamento anual para investimento. Estabelecer um teto de gasto trará mais controle e estabilidade para o negócio uma vez que não ocorrerá gastos maiores que o previsto, o que ajuda no controle financeiro. 

Desse modo, com o orçamento anual definido é possível analisar propostas que cabem no orçamento e que não irão prejudicar o setor financeiro. É interessante também definir um objetivo para o investimento, assim, é possível contratar algo que realmente irá melhorar a empresa. 

4. Administre bem fornecedores e condições de pagamento

Uma das peças fundamentais para o bom funciona de uma empresa é a gestão de fornecedores, já que sem produtos, não há vendas. Desse modo, é essencial escolher muito bem todos os fornecedores, procure sempre por empresas confiáveis, de boa qualidade, que oferecem segurança e crie um bom relacionamento com cada fornecedor, isso fará toda a diferença. 

Além disso, é importante estabelecer prazos que fiquem bons para os fornecedores e para sua empresa, procurar por boas condições de pagamento,negociar valores e juros. Toda negociação irá ajudar no fim das contas e poderá fazer a diferença para o seu negócio. 

5. Faça controle de estoque 

Realizar o controle do estoque é uma parte fundamental para organizar o setor financeiro da empresa. Ter produtos demais no estoque é um problema e falta deles também, por isso é preciso manter um controle de todos os produtos que entram e saem da empresa. 

Assim, é possível sincronizar a compra de estoque com fornecedores, analisar quais produtos são mais vendidos, organizar o espaço físico, entre outros. A falta de controle e organização do estoque pode gerar grandes problemas, muitos produtos e poucas vendas significam prejuízo e a falta de produtos impacta na venda, desse modo, tudo precisa estar sincronizado. 

6. Use uma solução tecnológica

Uma das melhores formas de organizar o setor financeiro é utilizar um software de gestão financeira. Na plataforma é possível fazer o controle do fluxo de caixa, ter acesso aos dados financeiros da empresa, planilhas, orçamentos, valores há receber, pagamentos a vencer e até mesmo emissão de notas fiscais eletrônicas. 

Assim, é possível obter uma visão mais ampla da situação financeira da empresa e ter acesso a relatórios de todos os meses que permitem analisar o estado do setor, auxiliando na tomada de decisões e em possíveis melhorias que podem ser realizadas. 

O sistema de gestão financeira irá facilitar o entendimento do setor, trazer mais segurança e facilidade para organizar todas as informações e finanças da empresa.

7- Avalie os resultados

Analisar os resultados é fundamental para avaliar e compreender a situação da empresa, se já algo que pode ser melhorado, se os resultados são positivos, entre outros. Essa avaliação trará uma visão real e verdadeira de tudo que ocorre com o negócio, permitindo tomar decisões mais certeiras, facilitando o planejamento e organização, não apenas do setor financeiro, mas da empresa como um todo. 

 

Agora que você já sabe da importância da organização do setor financeiro para uma empresa, está na hora de colocar em prática todos os passos e ajudar o seu negócio a se desenvolver e melhorar ainda mais. Continue acompanhando o blog do ISF Crédito para mais dicas e informações. 

5 dicas para fazer um empréstimo online seguro

Já pensou em comprar um carro, uma casa, fazer aquela viagem dos sonhos, mas no fim não conseguir realizar essa meta devido a falta de dinheiro?

Infelizmente, nem sempre é possível ter todo o dinheiro em mãos para realizar um sonho, mas existem possibilidades que permitem que isso aconteça, como o empréstimo. 

Atualmente, existem empresas de crédito online que oferecem condições melhores que os bancos, sendo possível conseguir empréstimos com juros mais baixos e um maior prazo de pagamento.

Contudo, é preciso tomar alguns cuidados, por isso, separamos 5 dicas que vão te ajudar a fazer um empréstimo online seguro. 

1- Confira a segurança e o domínio do site

A primeira coisa a se fazer quando for solicitar um empréstimo online é conferir a segurança e o domínio do site. Verifique algum indicativo de segurança, como o ícone de um cadeado antes do link ou o certificado de segurança do site, que normalmente aparece no rodapé da página. 

Além disso, utilize a ferramenta do google para analisar o nível de transparência do link, ao colocar o endereço será possível identificar elementos perigosos no site. Também é importante verificar o domínio do site.

Normalmente site seguros começam com a sigla “https//” ou “www” e  terminam com as siglas “.com” ou “.com.br”, isso mostra que são seguros. 

2- Procure saber mais sobre a empresa

Não se contente apenas com o que o site da empresa te diz, procure saber mais sempre. É interessante pesquisar o histórico, conversar com pessoas que já utilizaram o serviços da empresa, aproveite e procure por recomendações e avaliações. No site “Reclame Aqui” é possível encontrar depoimentos de pessoas que passaram por situações negativas com a empresa, assim, é possível evitar problemas. 

É importante procurar as redes sociais ou blog da empresa e pesquisar a situação cadastral do CNPJ. Para isso, basta pegar o número do CNPJ, que normalmente está no rodapé do site, ir até o site da Receita Federal e pesquisar. Se o site não estiver de acordo, é interessante procurar por outras empresas. 

3- Não pague valores adiantados

Segundo o levantamento da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) entre setembro de 2017 e setembro de 2018 cerca de 7,8 milhões de pessoas foram vítimas de fraudes no Brasil.

Por isso, é preciso ficar atento a algumas situações, por exemplo, a empresa não pode pedir pagamento adiantado de maneira alguma, isso é ilegal. 

O processo deve funcionar assim: o cliente solicita o empréstimo com a empresa, a mesma irá solicitar alguns dados e documentos para realizar a análise de crédito, ao fim da análise um contrato é firmado e o cliente recebe o valor do empréstimo. Assim, depois de receber o valor o solicitante começa a pagar as parcelas. 

4- Analise o contrato com atenção

Ter o contrato do empréstimo em mãos é imprescindível, ele é a sua garantia e pode evitar possíveis problemas. Assim, a empresa deve fornecer o contrato com todos os dados corretos, especificando o valor do empréstimo, prazo de pagamento, valor de juros e taxas, entre outras informações. 

Quando receber o contrato leia tudo atentamente e, se possível, leve a um advogado de confiança, ele irá conferir todas as cláusulas e condições impostas, se tudo estiver certo é hora de assinar o contrato. Caso tenha dúvidas sobre o contrato não hesite em entrar em contato com a empresa e se não considerar aquela proposta justa, não tenha receio de procurar outra empresa. 

5- Fique atento ao valor da parcela e condições de pagamento

Ao solicitar o empréstimo será realizada uma análise de crédito que ajuda a entender melhor qual a situação financeira do cliente, permitindo elaborar os componentes do empréstimo, como o valor cedido, taxa de juros, prazo de pagamento, se o empréstimo será com garantia, entre outros. 

Fique atento às condições impostas pela empresa, caso a parcela seja superior a 30% da renda do consumidor, pois isso pode ser considerado má fé por parte da empresa. A porcentagem da parcela do empréstimo precisa ser um valor que não prejudique a renda familiar.

É preciso tomar algumas precauções e analisar bem as ofertas de empréstimo para que tudo funcione de modo seguro. Assim, seguindo essas dicas será possível encontrar uma empresa de qualidade e conseguir um empréstimo online seguro.

Atualmente existem muitas empresas de crédito online que são seguras e confiáveis, como o ISF Crédito, que está há mais de 20 anos no mercado. Conheça as condições e possibilidades oferecidas aqui. 

Como não cair no golpe do empréstimo

Em alguns momentos da vida é normal que haja a necessidade de pedir um empréstimo, seja para realizar uma viagem, comprar um imóvel ou veículo, realizar um casamento, entre outros.

Atualmente, além dos bancos existem diversas empresas de crédito online que oferecem melhores condições. Contudo, também há muitos golpes nessas áreas, por isso, separamos algumas dicas para não cair no golpe do empréstimo. 

Existem diversas formas de golpe utilizados por criminosos, alguns criam sites falsos e se passam por empresas sérias para oferecer crédito às pessoas, contudo, tudo não passa de uma fraude, uma enganação para tomar dinheiro dos consumidores.

A maioria dos golpes consiste em pedir um pagamento adiantado pelo empréstimo, o que é ilegal.

Como identificar um golpe 

Primeiro é importante procurar informações sobre a empresa que está oferecendo o empréstimo, procure reclamações e avaliações na internet, como no site “Reclame Aqui”, converse com quem já utilizou o serviços, confira a segurança do site da empresa, entre outros.

Além disso, é importante ficar atento a algumas situações, por exemplo, desconfie se a empresa não se interessar no seu histórico de renda. As empresas de crédito dependem dos seus pagamentos, logo, precisam da confirmação que o solicitante conseguirá pagar o empréstimo, assim, se a empresa não tem interesse na sua renda as chances de ser um golpe são grandes. 

Desconfie se a empresa colocar muito pressão para que você tome a decisão rapidamente ou se for muito insistente. Isso é um sinal claro de golpe, uma vez que o criminoso pretende extorquir o dinheiro o mais rápido possível, sem que o consumidor entenda que é uma fraude, por isso a persistência é tanta, desconfie sempre que isso acontecer.

Fique atento se a empresa evitar o envio do contrato e das condições de pagamento do empréstimo, como taxa de juros e prazo.

Além disso, nunca aceite realizar um pagamento para uma conta física, procure sempre pelo CNPJ da empresa, verifique qual a instituição financeira que está trabalhando com o site e nunca aceite parcelas que comprometam cerca de 30% da renda familiar.

Negativados

As pessoas negativadas precisam de atenção redobrada pois são as mais suscetíveis aos golpes, já que os criminosos visam essas pessoas que passam por um momento difícil. Nesses casos fique ainda mais desconfiado se receber uma oferta de empréstimo sem análise de crédito ou com condições muitos boas. 

Sempre tenha cuidado com os seus dados pessoais, tenha cautela ao passar seu CPF e RG para desconhecidos e nunca compartilhe os dados da sua conta ou dos cartões de crédito sem antes ter certeza da seriedade e segurança da empresa de crédito. 

Infelizmente os casos de golpe com empréstimos tem crescido cada vez mais, atualmente são realizados golpes até mesmo pelo Whatsapp.

Por isso, desconfie de ofertas de empréstimo muito boas e muito fácil, siga as dicas do artigo e tenha muito cuidado ao aceitar propostas de empréstimo, peça sempre o contrato e analise muito bem as condições.  

Empréstimo com garantia: 10 verdades que você precisa saber

O empréstimo com garantia é uma ótima opção para quem precisa de dinheiro e procura por taxas e juros mais baixos e maior prazo para pagamento. Como nessa opção é possível colocar um imóvel ou veículo como garantia do empréstimo, fica mais fácil melhorar as condições de pagamento para o consumidor.

Por isso, separamos 10 verdades sobre o empréstimo com garantia que você precisar para entender essa nova modalidade. 

1- No empréstimo com garantia é preciso colocar um bem como garantia

O empréstimo com garantia funciona assim: caso o cliente possua um imóvel ou veículo em seu nome, é possível colocá-lo como garantia do empréstimo. Assim, o bem ficará alienado à instituição financeira que está oferecendo o empréstimo. Isso é vantajoso para a empresa pois, diminui o risco de não quitação e ao mesmo tempo permite oferecer melhores condições de pagamento para o consumidor. 

Assim, para solicitar o empréstimo com garantia o cliente entra em contato com a instituição de crédito que irá realizar uma análise financeira, para conhecer o perfil de quem está solicitando o crédito. Caso tudo esteja certo o bem que o cliente deseja colocar como garantia, seja ele um imóvel ou um veículo, é colocado no contrato do empréstimo. 

Como a empresa possui uma garantia de um bem, os riscos são menores, já que caso o cliente não faça o pagamento do empréstimo, o bem pode ser vendido. Isso permite que a empresa consiga oferecer juros mais baixos e prazos maiores. 

2- Ao colocar um veículo como garantia, o bem não ficará no nome da empresa que oferece o crédito

No empréstimo com garantia o seu bem não será colocado no nome da empresa, ele apenas será alienado à instituição que ofereceu o crédito, contudo continuará no nome do cliente. 

Um bem alienado significa que a posse indireta fica com a empresa de crédito que cedeu o empréstimo, mas o dono do bem continua sendo o cliente, tanto que ele poderá continuar utilizando seu imóvel ou veículo normalmente. Desse modo, assim que o empréstimo é quitado, a alienação será retirada do documento e o vínculo com a instituição de crédito acaba. 

3- Você não perde o bem se atrasar uma parcela

Fique tranquilo, caso você esqueça de pagar uma parcela o seu bem não será tomado. Antes de considerar o não pagamento de uma parcela como calote, a empresa entra em contato com o cliente para negociar o pagamento e entender o motivo da inadimplência. 

Normalmente a inadimplência começa a ser considerada calote depois da terceira parcela em atraso. Se isso acontecer, a própria empresa entra em contato com o consumidor para notificar a inadimplência e começa um processo de negociação para tentar resolver o problema.

Seu bem será tomado em último caso, na maioria das vezes as instituições tentam ao máximo resolver as parcelas em atraso com o consumidor. 

4- Empréstimos com garantia não demandam pagamento adiantado

É importante saber que em nenhum tipo de empréstimo é necessário pagamento adiantado, segundo o Banco Central nenhuma empresa que oferece crédito deve solicitar pagamento antecipado ao consumidor, essa prática é ilegal e é considerada uma operação fraudulenta.

O empréstimo é feito por meio de uma solicitação do consumidor que irá passar por uma avaliação financeira e depois de todo o processo, caso seja aprovado, o pedido será formalizado num contrato que o cliente recebe. Apenas depois de assinado o empréstimo será liberado, assim, o pagamento das parcelas tem início apenas depois do recebimento do crédito. 

5- Mesmo no empréstimo com garantia é preciso comprovar renda

Mesmo que o cliente opte por um empréstimo com garantia ele deverá comprovar renda. As empresas de crédito precisam saber que o cliente tem condições de arcar com as parcelas do empréstimo, evitando tomar calote. 

Além disso, a análise de crédito também é essencial para que a instituição possa decidir qual será o valor do empréstimo liberado, as taxas de juros e o prazo de pagamento. Assim, quanto melhor sua análise de crédito, maiores as chances de conseguir um empréstimo mais alto e com melhores condições. 

6- O histórico de consumo no mercado influencia na aprovação do empréstimo

Outro fato que influencia muito para as empresas no momento de decidir o valor de crédito que será liberado, é o histórico de consumo de mercado do consumidor. É muito comum que as pessoas descubram ao solicitar um empréstimo que estão negativadas no mercado. 

Por isso, é preciso acompanhar o histórico do CPF ao longo dos anos, sempre atualizar seu cadastro e quitar as dívidas. As informações liberadas pelo Serasa e SCPC são muito importantes e têm grande peso para as instituições de crédito, visto que indicam quando uma pessoa está inadimplente ou negativada. 

7- O empréstimo com garantia de imóvel pode levar mais tempo que o de carro

É possível utilizar seu imóvel ou veículo como garantia em um empréstimo, contudo a modalidade com garantia de imóvel pode levar mais tempo para ser concedida. Isso porque os trâmites que envolvem os imóveis são mais complexos e demorados que os de veículos. 

No caso do empréstimo com garantia de veículo é tudo mais rápido pois logo após a análise de crédito ter sido aprovada, são solicitados os documentos do veículo e é realizada a vistoria. Com tudo aprovado o empréstimo é liberado. 

Contudo, com imóveis o processo é um pouco mais complexo pois demanda uma pré-análise jurídica, avaliação do imóvel, documentação como IPTU e matrícula, entre outros. Apenas depois de todo esse processo que o contrato será enviado ao cartório para autenticação e o crédito será liberado. 

8- O bem utilizado como garantia deve estar quitado para poder fazer parte do empréstimo.

Para poder colocar o bem como garantia no empréstimo, o mesmo deverá estar quitado. Contudo, caso não tenha um bem quitado é possível que a empresa quite o bem para você. 

Isso se chama interveniente quitante, que é quando o consumidor quer usar como garantia um bem já alienado em outra empresa. Nesse caso a instituição quita o valor que falta e desconta essa parte no total do crédito concedido. 

9- É possível conseguir o empréstimo colocando um avalista

Avalista é a pessoa que se responsabiliza por pagar um título cambial, por isso, as empresas aceitam solicitações de empréstimo com um avalista. Contudo, a pessoa precisa ter um parentesco de primeiro grau (pai, mãe ou cônjuge) com o consumidor do empréstimo e precisa aceitar a responsabilidade de pagar as parcelas.

10- Você só perderá o bem em caso de calote

O bem pode ser tomado em caso de calote, contudo isso é algo que as instituições tentam ao máximo evitar já que a execução de um bem não é algo rápido nem mesmo simples. Por isso, a empresa considera calote a partir da terceira parcela em atraso e tentará ao máximo negociar a dívida e a forma de pagamento antes de entrar com o processo de execução. O bem só será tomado se não for possível chegar a um acordo e depois que todas as tentativas de negociação de pagamento acabaram. 

Agora que você já sabe tudo sobre empréstimo com garantia, que tal conhecer as possibilidades que o ISF Crédito oferece? Estamos há mais de 20 anos no mercado, sempre trabalhando com segurança, qualidade e confiança. Faça sua simulação de empréstimo aqui. 

Dicas de como fazer o planejamento financeiro de 2020 da sua empresa

Ter uma empresa de sucesso é o sonho de todos os empreendedores, mas não é uma tarefa fácil. Além de muito trabalho é preciso também muita organização, por isso é fundamental planejar e organizar todos os passos do negócio ao longo do ano, principalmente a parte financeira. Separamos algumas dicas para te explicar como fazer o planejamento financeiro de 2020 da sua empresa.

1- Comece a fazer o planejamento financeiro o quanto antes

Não espere o ano começar para iniciar seu planejamento, o ideal é começar a organizar tudo pelo menos 3 meses antes do fim do ano, assim, é possível planejar as finanças com calma, pensando nos detalhes e em todos os pontos necessários, desse modo, no começo do próximo ano tudo estará preparado para seguir o ano. 

Primeiro é necessário fazer um orçamento anual, faça uma estimativa do quanto a empresa recebe e gasta por ano, para isso, utilize o histórico dos outros anos. É importante ser sempre realista ao fazer esse orçamento, coloque números reais e pense também nos piores cenários, assim, seu negócio estará preparado caso ocorra algum problema. 

2- Conte com a ajuda de um consultor financeiro

As finanças da empresa precisam de uma atenção especial para que o fluxo de caixa, capital de giro, contas a pagar e a receber fiquem organizados e salvos nos arquivos. O modo como seu negócio faz o planejamento e a gestão financeira interfere muito no funcionamento da empresa. A falta de um financeiro organizado e planejado pode trazer grandes problemas. 

Assim, é uma boa opção contratar um consultor financeiro. Ele irá orientar as decisões da área das finanças sempre levando em conta as características individuais da empresa, além disso, ele fará toda a organização do fluxo de caixa, organizará o capital de giro, pagamentos, recebimentos e também ajudará a pensar em investimentos que poderão ajudar o negócio. 

3-  Acompanhe todo o fluxo financeiro

Independentemente de contar com a ajuda de um consultor ou não, é preciso manter todas as contas, gastos e ganhos organizados, isso trará controle para o seu negócio e permite manter a estrutura das finanças. 

Além de registrar os lançamentos é necessário acompanhar o andamento de tudo, fazendo análises e conferindo como está a situação financeira da empresa, se é preciso fazer alguma mudança, cortar gastos, entre outros. Desse modo, com o acompanhamento é possível fazer projeções de recursos com mais precisão e, caso seja necessário, tomar decisões com mais segurança e certeza. 

4- Utilize um software online

Numa empresa há um grande fluxo de entrada e saída de dinheiro, há valores à receber, contas para pagar, folha de pagamento, compra de estoque, venda de produtos, entre outros. O software faz o controle do fluxo de trabalho ( financeiro, vendas, estoque, emissão de boleto, nota fiscal, etc), ajudando no planejamento e na organização das finanças da empresa. 

Além de automatizar a parte de contas, os softwares de gestão financeira deixam todos os dados organizados e salvos num arquivo, permitindo o acesso a qualquer momento, assim, as chances de perder algum documento ou recibo são menores. Há também a possibilidade de gerar relatórios que vão ajudar a visualizar a situação financeira do negócio. 

5- Calcule o preço ideal do seu produto ou serviço

Este é um ponto muito importante que deve ser levado em consideração na hora de construir o planejamento financeiro. Analise muito bem o custo de produção do produto ou serviço, defina qual seria o lucro ideal e pense em outras possíveis despesas que podem agregar valor ao produto ou serviço oferecido. 

Assim, após analisar esses pontos é possível encontrar um preço ideal para seu produto/serviço, um valor que seja interessante tanto para o negócio quanto para os clientes. 

6- Como montar o planejamento financeiro empresarial

O primeiro passo é separar os ganhos pessoais dos ganhos da empresa, abra uma conta específica para o negócio e utilize apenas para esse propósito. Feito isso está na hora de montar uma planilha para fazer o controle das receitas e despesas da empresa, aproveite e insira prazos para deixar tudo mais organizado. 

O ideal é utilizar um sistema de gestão financeira, que permite organizar todo esse fluxo em um só lugar e que, além disso, sempre mantém os dados armazenados e é um processo mais seguro. Contudo, caso não seja possível utilizar um software, faça tudo em planilhas, o importante é a organização e o planejamento. 

Com os dados nas planilhas fica mais fácil planejar o ano todo, deixe anotado as tarefas do dia a dia, marque o dia de pagamento dos funcionários, dos fornecedores, dia de vencimento das contas e do aluguel, entre outros. Assim, é possível já deixar todos os meses do ano organizados antecipadamente, o que já reduz grande parte do trabalho, isso faz com que sobre mais tempo para focar nos recebimentos e análise de como anda as finanças da empresa. 

Esse planejamento promove mais controle sobre a área financeira do negócio, trazendo uma visão ampla e detalhada de tudo que acontece financeiramente. Por isso, permite planejar melhor os próximos passos, definir metas, se preparar para possíveis problemas, entre outros. 

Lembre-se que esse trabalho é complicado, por isso, é interessante capacitar alguns membros de confiança da equipe para que ajudem nessa área. Dividir funções é uma boa opção, por exemplo, uma pessoa é responsável pelo controle de estoque, outra pela área de vendas, etc, assim, todas conversam entre si e contribuem na construção do planejamento financeiro. 

O planejamento financeiro é essencial para qualquer empresa e faz a diferença na gestão do seu negócio uma vez que permite que a mesma se desenvolva, cresça e tenha sucesso. 

Mas, lembra-se que o planejamento deve ser sempre feito a longo prazo, com muita organização e dedicação para funcionar do modo certo e realmente ajudar a empresa. Gostou das dicas? Agora está na hora de colocar tudo em prática e continue acompanhando nosso blog para mais informações!