Veja como o ISF pode auxiliar no desenvolvimento da sua empresa

Os recursos financeiros são o aspecto principal para o funcionamento do seu negócio, afinal, qualquer empresa precisa de capital para crescer. Conseguir recursos significativos não é simples, principalmente para pequenas e médias empresas, e uma boa saída é procurar por uma linha de crédito que encaixe no seu negócio.

Contratar um empréstimo como o do ISF, que trabalha para você e não para os bancos, de forma personalizada buscando em todo o mercado financeiro a melhor solução, pode trazer inúmeros benefícios para a sua empresa, e, o melhor, auxiliar no desenvolvimento do seu negócio.

Veja como o ISF pode te ajudar:

 

NA EXPANSÃO DA SUA EMPRESA

Se sua ideia é abrir uma filial do seu estabelecimento ou aumentar a sede da sua empresa, mas você não tem a verba necessária para essa expansão, um empréstimo é a melhor opção para não deixar seu projeto de lado.
Inicialmente, o investimento pode ser alto, mas reformas assim sempre chamam a atenção dos clientes atuais e de novos consumidores. Em pouco tempo você terá um retorno significativo e poderá investir em outros pontos, como em novos fornecedores e no seu estoque, que deve acompanhar o tamanho do seu estabelecimento.

 

NA MODERNIZAÇÃO DO SEU NEGÓCIO

Se você ainda não deseja expandir o seu negócio, mas quer modernizá-lo, solicitar um empréstimo pelo ISF também é a solução. Hoje em dia, não importa se a empresa é grande ou pequena, a maioria está investindo em tecnologia e automação e as vantagens são grandes.
Independente do seu nicho de mercado, melhorar a eficiência operacional com novos computadores ou máquinas mais modernas vai refletir positivamente na sua equipe, em seu atendimento e nos seus clientes.

 

NO MARKETING

Sem dúvidas, investir em marketing é fundamental, mesmo para pequenos negócios. Existem empresas que contratam agências especializadas em marketing ou que possuem uma equipe de marketing junto ao próprio negócio, mas o importante é que grande parte delas se dedica à isso e colhe bons resultados.
Se você está precisando atingir mais pessoas e ainda não impactou o público que deseja, utilize o empréstimo para melhorar a divulgação da sua empresa, seja nas ruas, na televisão ou nas redes sociais. Mesmo que seu empréstimo tenha juros, logo o investimento irá compensar.

 

NO AUMENTO DO CAPITAL DE GIRO

É impossível fazer uma empresa funcionar sem um capital de giro, seja a curto, médio ou longo prazo. Às vezes as vendas podem estar insuficientes para o caixa do seu negócio e as dívidas não irão esperar, afinal, você tem que pagar os seus funcionários, o aluguel e os seus fornecedores.
Antes de abrir o seu negócio você deve saber que possuir um capital de giro é muito importante. Mas se os últimos meses não foram suficientes para pagar as contas, um empréstimo é a melhor saída para você quitar as dívidas, evitar atrasos e se reerguer no mercado.

Independente das mudanças e investimentos que você deseja fazer na sua empresa, o ISF poderá ajudar buscando as menores taxas e os melhores prazos. Veja quais são as suas necessidades, qual solução você está procurando e faça uma simulação no nosso site!

Quer investir, mas está sem grana?

Quando se fala em investimento, muitas dúvidas podem surgir, e isso é normal. Existem diversas formas de investir, inclusive com pouco dinheiro e até mesmo fazendo um empréstimo. Mas antes de dar um passo tão importante, é fundamental aprender sobre o assunto.

Não existe um caminho fácil para ganhar dinheiro rápido, mas coloque na sua cabeça que você pode poupar dinheiro, ajustar o seu orçamento ou analisar o que já tem antes de fazer um novo investimento.

Não importa se o dinheiro que vai investir é poupado ou até mesmo emprestado, o importante é que ele cresça. Invista em algum negócio, em um produto ou em você mesmo. Tire um tempo e veja nossas dicas para decidir como e por onde começar.

 

Comece por um negócio menor

Antes de abrir qualquer empreendimento é necessário que você conheça a fundo histórias de sucesso, e também histórias de fracasso, sobre o nicho ou setor que você deseja investir o seu dinheiro.

Não se esqueça de que quando você monta um comércio, precisa de produtos e de um ponto comercial. Quando monta uma indústria, precisa de máquinas. E até mesmo quando se trabalha em casa, é necessário investir em alguns materiais.

Procure e pesquise ideias que funcionarão de uma forma econômica no início e aprenda com isso. Em breve o seu negócio será mais rentável e você poderá investir ainda mais.

Veja algumas dicas de negócios que não precisam de um alto investimento:

Ensino

Se você é fluente em alguma língua estrangeira, tem conhecimento sobre trabalhos manuais, sabe tocar bem algum instrumento ou entende tudo sobre algum esporte, faça com que seu hobby ou talento se torne um negócio.
Pense nas pessoas que já te pediram ajuda em algum assunto que você possui um grande entendimento, venda o seu conhecimento para quem busca se aperfeiçoar em alguma área específica, opte por ministrar cursos presenciais ou online. Inicialmente, esse negócio pode não ser a sua única ocupação, mas com o tempo pode se tornar a sua principal renda, basta saber como iniciar, divulgar e manter as suas aulas.

 

Monte um e-commerce

Abrir uma loja virtual, principalmente com um estoque pequeno e com pouca variedade de produtos exige pouco investimento inicial. Comparado a lojas físicas, negócios online tem um custo mais baixo, e no início você pode trabalhar dentro da sua casa, sem ter a necessidade de alugar algum local para fixar o seu estabelecimento.

 

Invista em nichos

Antigamente, uma barbearia era apenas um local para se fazer a barba, hoje, esse negócio se destaca como um ambiente que exige uma bela decoração, uma vestimenta certa para os funcionários e até mesmo lazer, como televisão e videogames. O mesmo vale para hamburguerias gourmets, docerias e cervejarias. Todos esses nichos evoluíram ao longo dos anos e tem um ponto em comum: focam em um público-alvo específico, com necessidades parecidas, não precisam de um grande estoque para se manter no mercado e nem de um alto investimento inicial.

 

Microfranquias

A maioria das microfranquias pedem um investimento de até R$ 90 mil, e tem outra vantagem, o prazo de retorno também é menor. Mesmo que saia um pouco mais caro que outras opções de investimento, as microfranquias têm se destacado no mercado e podem ser uma ótima oportunidade para pessoas que sempre desejaram ser empreendedoras.

 

Desbancarização

Sabemos que nem todo mundo possui dinheiro suficiente para investir em um novo negócio, e isso não é um problema. Existem vários tipos de empréstimo, pesquise e encontre aquele que se encaixa nos seus planos.
Pare de pensar que só é possível pegar dinheiro emprestado com um banco. Existem empréstimos confiáveis com taxas menores e com bons prazos para qualquer perfil de empreendedor. Conheça algumas categorias de empréstimo e analise qual a melhor forma de investir antes de fechar o contrato.

 

Empréstimo com garantia de imóvel

Se você não quer pagar juros altos aos bancos, uma das opções é o empréstimo com garantia de imóvel. Nele, o seu imóvel residencial ou comercial é usado como garantia de pagamento.
Neste caso, as taxas de juros são mais baixas. Mas lembre-se, o seu imóvel precisa estar ao menos parcialmente quitado e a liberação será baseada no valor que você precisa e na porcentagem do que já foi quitado.

 

Empréstimo com garantia de veículo

Neste caso, o seu carro ou a sua moto podem ser usados como garantia. Você terá mais segurança e receberá um empréstimo que tem como base o preço do veículo. A taxa de juros também pode variar dependendo do veículo, que será avaliado antes que o negócio seja fechado. Geralmente o valor liberado corresponde a 80% do valor do seu veículo.

Agora que você já leu as nossas dicas, imaginamos que já tenha decidido em qual negócio deseja investir e qual o melhor tipo de empréstimo para começar a empreender. Para saber quais as condições no seu caso, faça uma simulação gratuita no site do ISF Crédito Orientado.

Como conseguir capital de giro para sua empresa

Você sabe o que é o capital de giro? Bom, para quem sabe, a pergunta pode parecer óbvia, mas tem todo mundo que começa um negócio próprio sabe identificá-lo ou mesmo reconhecer a sua importância para os negócios.

Em resumo, capital de giro é o dinheiro necessário para manter o funcionamento da empresa, como pagamento de salários, manutenção do imóvel, energia elétrica etc. Temos um artigo detalhado sobre  como calcular o capital de giro da sua empresa.

Se os ativos estão maiores que os passivos, sua empresa tem capital de giro adequado para financiar as operações. Se o passivo for maior que o ativo, atenção: a empresa está com falta de recursos. E perceber isto tarde demais pode significar atraso no pagamento de fornecedores, de salários… em resumo: dívida.

Existem alguns meios de se precaver e evitar que as operações da empresa sejam prejudicadas, confira:

Antecipação de recebíveis

Como o próprio nome sugere, a antecipação de recebíveis faz o dinheiro a ser recebido no futuro pela empresa se tornar um caixa presente. As instituições financeiras e demais organizações neste ramo de atuação assumem o risco deste recebimento futuro. Os juros irão variar conforme o tempo em que o cliente demorar para compensar o crédito oferecido, por isso é importante ficar atento.

Empréstimo

Esta é uma opção muito comum tanto para empresas que possuem créditos a receber, quanto entre aquelas que não possuem. Com o planejamento certo, é possível encontrar as menores taxas de juros e condições de pagamento, além de criar as melhores estratégias para quitar o empréstimo. O crédito concedido no empréstimo leva em conta o porte da empresa, o que pode ser algo positivo para garantir o fôlego certo nas operações.

 

Se você precisar de ajuda com capital de giro, o ISF Crédito pode te ajudar. Reúna seu orçamento, acesse nosso site e faça uma simulação. Em caso de dúvidas, entre em contato por meio dos nossos canais de atendimento.

 

O que você precisa saber sobre Planejamento Financeiro

O ano já passou da metade e você ainda não tirou o seu negócio do papel? No post de hoje, trazemos um tema que pode te ajudar a dar um pontapé inicial: planejamento financeiro.

Para começar é importante entender que o planejamento financeiro é uma análise, ampla e ao mesmo tempo detalhada, das necessidades do seu negócio, com ela entendemos, por exemplo, quanto e onde o dinheiro será empregado.

O que você precisa saber sobre Planejamento Financeiro
(Foto: Banco de imagens)

Com isso em mente, partimos a entender os gastos do seu negócio. Eles são divididos em:

Investimentos fixos: quantia reservada para adquirir os bens necessários para fazer seu negócio funcionar de maneira apropriada. Assim, se você vai abrir uma padaria seu investimento fixo vai ser gasto com forno, freezers e vitrines, por exemplo.

Investimentos financeiros: são destinados a formação do capital de giro para o empreendimento, compreendendo, por exemplo, a aquisição de mercadoria e formação de estoque. É com esse dinheiro que você compra os ingredientes para os produtos confeccionados na padaria, além daqueles que você revende como suco e refrigerante. Além disso, o investimento financeiro envolve a formação de um caixa inicial para o negócio.

Investimentos pré-operacionais: são aqueles feitos antes do início das atividades e geralmente estão associados a questões burocráticas ou estruturais, como reformas de imóveis e taxas para registro da empresa. Como todos os empreendimentos, uma padaria precisa de registros, licenças e alvarás para que possa funcionar.

O que você precisa saber sobre Planejamento Financeiro
(Foto: banco de imagens)

Ao final de todos esses cálculos e pesquisas de preços, você consegue chegar à quantia necessária para abrir o seu negócio. Assim, some os investimentos fixos, os financeiros e os pré-operacionais para obter o investimento total.

Com esse valor total em mãos, você é capaz de buscar os recursos para tirar tudo do papel. Nesse momento, o ISF pode te auxiliar como seu guia financeiro, analisando as opções do mercado para encontrar a melhor solução de crédito para você. Acesse nossa plataforma e faça uma simulação: www.isfcredito.com.br. Em caso de dúvidas, entre em contato com nossos canais de atendimento

Como calcular o capital de giro da sua empresa

Capital de Giro. Se você é um empreendedor, com certeza conhece e sabe da importância dessas palavras para sua empresa. Colocando de forma simples, esse é o dinheiro necessário para fazer a empresa funcionar no dia a dia, isso envolve gastos como produção e comercialização, como estoque, caixa, vendas e fornecedores.

Como calcular o capital de giro da sua empresa
(Foto: banco de imagens)

Para calcular o capital de giro é necessário entender que, financeiramente, ele é composto por dois elementos:

  • ativo circulante: são os valores que entram na empresa e estão, basicamente, ligados ao recebimento de pagamentos dos clientes, investimentos e caixa.
  • passivo circulante: é a quantia de dinheiro que sai da empresa, abarcando, principalmente, contas a pagar (funcionários, água, luz, internet, …) e fornecedores.

CG = AC – PC

(capital de giro) = Ativo circulante – Passivo Circulante

Nesse contexto, é importante lembrar de um fator significativo para alguns tipos de negócio, o estoque. Ele é uma forma de imobilização do seu dinheiro, ou seja, um investimento que fica parado na expectativa de dar retorno assim que o estoque seja vendido.

Assim, a conta passa a ser feita com mais um elemento:

CG= AC – PC + E

(capital de giro) = Ativo circulante – Passivo Circulante + Estoque

Como calcular o capital de giro da sua empresa
(Foto: banco de imagem)

Aplicando essas fórmulas com valores. Vamos supor que suas despesas somam uma quantia de R$18mil (PC) e as contas que tem para receber contabilizam R$35mil (AC). Assim, o valor de seu capital de giro líquido deve ser:

CG = AC – PC CG = R$35mil – R$18mil = R$17mil

 

Agora, consideremos que sua empresa precise de estoque e ele mobilize um valor de R$15mil. Seu capital de giro deve alcançar o valor de:

CG= AC – PC + E CG = R$35mil – R$18mil + R$15mil = R$32mil

 

Calcular o valor do capital de giro é um dos primeiros passos no difícil caminho de administrar esse dinheiro, de forma a manter sua empresa funcionando de forma ideal e saudável.  Se você perceber que precisa de ajuda com seu capital de giro, o ISF também pode te auxiliar. Reúna seu orçamento, acesse nossa plataforma e faça uma simulação. Em caso de dúvidas, entre em contato por meio dos nossos canais de atendimento.

SWOT: Conheça bem o seu negócio e prospere

Tomar decisões no seu negócio não é fácil, mas um bom começo é pensar na sua situação atual: abrir um novo negócio ou investir no meu atual? Capital próprio ou crédito? Considerar os prós e contras, avaliar o impacto para as pessoas próximas e para o mercado, entre outros fatores. É basicamente isso que propõe a Matriz SWOT, uma ferramenta que te auxilia a entender como o seu negócio está inserido no mercado e a partir daí te ajudar a planejar ações.

Matriz SWOT ou Análise SWOT, é uma sigla em inglês formada pelas iniciais das palavras: Streights, Weaknesses, Opportunities e Threats. Ao ser traduzida para o português, a ferramenta ganhou a sigla de FOFA: Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças, que são os elementos analisados pela matriz.

Dentro da matriz, esses quatro itens são divididos em: pontos positivos (forças e oportunidades) e pontos negativos (fraquezas e ameaças), além de fatores internos da empresa (forças e fraquezas) e fatores externos (oportunidades e ameaças).

Matriz Swot
(Foto: ISF Crédito)

Assim, sua análise deve começar pelo preenchimento dos quadrinhos, sempre trabalhando com perspectivas realistas, para isso, é bom que você conte com o auxílio de outras pessoas também envolvidas no seu negócio. Então vamos supor que você está começando um negócio de confeitaria, depois de um tempo produzindo em casa. Para facilitar essa lista, transforme os quatro pontos em perguntas:

  1. Quais os pontos fortes do seu negócio? Aqui são itens internos que te dão um diferencial em relação aos seus concorrentes. Então, seguindo o exemplo, podemos considerar que você tem o know-how, uma clientela que te conhece e uma localização favorável para as vendas.
  2. Quais seus pontos fracos? Aqui também consideramos suas fraquezas internas, oportunidades de melhoria. Pode ser por exemplo: falta de capital próprio, necessidade de contratação, matéria-prima com alto custo, etc.
  3. Quais as oportunidades do seu negócio? Para responder, analise o mercado de forma realista e identifique pontos que realmente favoreçam seu negócio, no formato que ele está no presente. Assim, no exemplo da confeitaria, as oportunidades canalizadas principalmente em dois pilares: o primeiro deles é a busca por praticidade, com a rotina corrida é mais fácil encomendar os alimentos prontos do que fazê-los em casa. O segundo é a característica personalizada do trabalho, as encomendas são feitas a partir do que o cliente deseja, dentre tendências como Gourmetização dos alimentos, assim por diante.
  4. Quais ameaças seu negócio? Liste problemas enfrentados pelo seu negócio no mercado que ele está inserido, considere questões como ações da concorrência. No caso da confeitaria, a quantidade de empresas no mesmo ramo que possuem uma estrutura maior é um exemplo de ameaça. Outros fatores vão além da concorrência de setor, como o estilo de vida saudável que tem cada vez mais conquistado as pessoas e, mesmo que isso seja bom por motivos óbvios de saúde, de certa forma diminui o consumo de doces, o principal produto do negócio. Isso é válido também para buscar alternativas de eliminar algumas ameaças transformando em oportunidades.
Matriz Swot
(Foto: Banco de Imagens)

Com os pontos preenchidos, faça uma análise geral e cruze os pontos, ou seja, como minhas forças podem me ajudar a aproveitar as oportunidades do mercado? Minhas fraquezas atrapalham minhas oportunidades, o que eu posso fazer para evitar isso? Como evitar que minhas fraquezas aumentem minhas ameaças? Minhas forças podem me ajudar a diminuir minhas fraquezas?

A partir de todas essas respostas, você consegue montar um plano de ação, com estratégias para alcançar oportunidades, potencializar forças, diminuir fraquezas e evitar ameaças. Se você perceber que precisa de ajuda com os custos, o ISF também pode te auxiliar. Buscamos soluções de crédito justas e customizadas para a sua empresa, acesse nossa plataforma e faça uma simulação. Em caso de dúvidas, entre em contato por meio dos nossos canais de atendimento.

Endomarketing: 5 regras para uma boa comunicação interna

Posicionamento no mercado e crescimento são alguns dos temas principais que abordamos aqui no blog. Na verdade, a nossa intenção é te ajudar a alcançar seus objetivos, estabelecendo sua empresa de forma bem-sucedida, mas é importante pontuar que para que o sucesso externo seja plenamente alcançado, o desenvolvimento interno de seu negócio é de suma importância.

Comunicação empresarial interna
(Foto: banco de imagens)

Assim, no post de hoje, vamos falar de Endomarketing. A palavra pode ser estranha, mas nada mais é do que ações de marketing voltadas para a empresa em si, com foco no ambiente empresarial e nos colaboradores.

O endomarketing busca estratégias que motive, aumente a produtividade e torne o ambiente saudável para seus funcionários. Todos esses elementos refletem no desempenho de sua empresa, uma vez que são seus colaboradores que carregam a camisa do seu negócio, são responsáveis pelo lucro, pelo contato com o cliente e por manter sua empresa funcionando para alcançar metas e objetivos.

No desenvolvimento das estratégias de endomarketing, o setor de Recursos Humanos tem grande participação pois é ele quem pode fornecer uma análise da equipe, com informações como perfil e comprometimento. Assim, o departamento de comunicação saberá a melhor forma de abordagem pra qualquer campanha interna.

Comunicação interna
(Foto: banco de imagens)

Bom, que criar ações de endomarketing traz diversos benefícios para a sua empresa ficou claro, mas como fazer isso? A gente traz cinco pontos importantes:

1- Canal de comunicação interna: é quase um SAC interno da empresa, onde o funcionário pode falar e receber uma resposta. Além disso, por meio desse canal, você pode passar informações importantes, conteúdos e notícias. Envolva-os no que está sendo feito na área de marketing e comunicação.

2- Desenvolva os funcionários dentro dos princípios da empresa: Missão, visão e valores não servem apenas para serem expostos,  precisam ser vivenciados no dia a dia do seu negócio. Escolha seu time pensando nessa identificação, para que eles realmente estejam motivado a querer chegar onde a sua empresa quer chegar. Esse também é um processo de mão dupla, então conheça seus colaboradores e qual a imagem que eles têm da empresa, pergunte o que pode ser melhorado, cuide pra que mudanças sejam feitas se necessário e seja sempre o exemplo dessa motivação.

3- Integre seus funcionários: promova palestras, exercícios em grupo e até happy hours, isso ajuda a manter o ambiente motivado e seu funcionário satisfeito.

4- Reconhecimento: esse talvez seja o principal ponto para um funcionário satisfeito e motivado, valorize o trabalho e dê benefícios. Criar Indicadores de desempenho para que os benefícios sejam justos, oferecer prêmios como ingressos para cinema ou ações que melhorem a qualidade de vida, são exemplos.

5- Para terminar é importante avaliar o ambiente, saber se está todas as ações estão dando resultado e, assim como deve ser feito com as estratégias de mercado, fazer mudanças se for necessário.

Melhore o ambiente de trabalho
(Foto: banco de imagens)

Enfim, ter um ambiente motivador e que promova a satisfação, traz pontos positivos para a saúde e a vida de seu funcionário, ao mesmo tempo que contribui para o crescimento de seu negócio. Para organizar essas ações, algumas ferramentas podem ser úteis, uma delas é a 5W2H, que já falamos aqui no blog.

Além dessas dicas, o ISF pode te ajudar como seu guia financeiro, auxiliando na melhor solução de crédito para colocar suas ações em prática. Entre em nossa plataforma e faça uma simulação. Em caso de dúvidas, entre em contato com nossos canais de atendimento.

Conheça uma maneira infalível de planejar ações na sua empresa

O nosso principal objetivo aqui no blog é trazer dicas úteis para empreendedores, para donos de empresa ou para quem planeja tirar seu negócio do papel. Nesse contexto, um dos pontos que não cansaremos de bater na tecla é o planejamento, e para te mostrar que esse item tão importante em uma empresa não é um bicho de sete cabeças hoje trazemos mais uma ferramenta para te auxiliar: o CICLO PDCA.

Planejando ações empresariais

O Ciclo PDCA é um método de gestão que controla ações de planejamento de forma contínua, por isso o “ciclo” no nome. Para começar a entender essa ferramenta, o primeiro passo é conhecer o significado da sigla formada por verbos que indicam as etapas de ação:

 

P de PLAN = planejar

D de DO = fazer, executar

C de CHECK = checar

A de ACTION = agir

 

  1. Planejar: esse é ponto de partida do ciclo e um dos mais importantes, pois é aqui que serão estabelecidos os objetivos e as ações para alcançá-los, além de estabelecer equipes e delegar funções. Assim, o plano deve ser bem elaborado, com base em informações e foco nos resultados que deseja alcançar.
  2. Executar: é hora de colocar tudo que foi planejado em ação seguindo o plano à risca, sem mudanças, pois mesmo possíveis erros são importantes para que o ciclo funcione e você vai entender o porquê nos próximos passos.
  3. Checar: é o momento de colher frutos e colocar tudo na mesa. Nesse passo, você deve comparar o plano e o resultado das ações, identificar os erros e quais pontos poderiam ter sido feitas de forma diferente.
  4. Agir: nessa “última” fase, os erros encontrados anteriormente são corrigidos e a partir disso é possível dar um novo início ao ciclo, retornando ao planejamento sem cometer os mesmos erros.

Então digamos que o dono de uma padaria queira diminuir os gastos mensais:

Ciclo PDCA

Basicamente, o Ciclo PDCA mostra que é sempre possível aperfeiçoar e desenvolver, continuamente, ações que já estão estabelecidas, mas para isso é necessário que o ciclo seja totalmente cumprido e de forma contínua. Além disso, você pode aliá-lo com outras ferramentas como a 5W2H, que já falamos aqui no blog.

Se, durante a execução de suas ações, você perceber que precisa de ajuda com os custos, o ISF também pode te auxiliar. Buscamos soluções de crédito justas e customizadas para a sua empresa, acesse nossa plataforma e faça uma simulação. Em caso de dúvidas, entre em contato por meio dos nossos canais de atendimento.

 

 

eSocial: O que sua empresa precisa saber sobre ele

Em 2014, o Governo Federal instituiu o Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas, ou seja, o eSocial. Basicamente, por meio desse sistema o empregador consegue ter uma relação direta com o Governo de forma simples, unificada e eletrônica.

Mas como o eSocial funciona? De maneira resumida, as empresas enviarão seus dados fiscais, previdenciários e trabalhistas para a plataforma do Governo. É importante lembrar que não são informações novas, são apenas dados com os quais a empresa já tem que lidar e que são enviados para diferentes órgãos como Caixa Federal e Ministério do Trabalho, mas a partir de agora terão um destino único.

O que é eSocial
(Foto:banco de imagens)

Para você ter uma ideia, com a implantação do sistema cerca de 15 obrigações passam a ser informadas em um lugar só:

  • GFIP  –  Guia de Recolhimento do FGTS e de Informações à Previdência Social
  • CAGED – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados para controlar as admissões e demissões de empregados sob o regime da CLT
  • RAIS – Relação Anual de Informações Sociais.
  • LRE –  Livro de Registro de Empregados
  • CAT – Comunicação de Acidente de Trabalho
  • CD –  Comunicação de Dispensa
  • CTPS – Carteira de Trabalho e Previdência Social
  • PPP – Perfil Profissiográfico Previdenciário
  • DIRF – Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte
  • DCTF – Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais
  • QHT – Quadro de Horário de Trabalho
  • MANAD – Manual Normativo de Arquivos Digitais
  • Folha de pagamento
  • GRF – Guia de Recolhimento do FGTS
  • GPS – Guia da Previdência Social

Quais os benefícios do eSocial? Para as empresas os benefícios estão diretamente ligados à praticidade e diminuição da burocracia das relações trabalhistas, de gastos e tempo, além de evitar alguns erros em cálculos que podem causar prejuízos. Para os trabalhadores, o sistema é mais um meio de garantir os direitos trabalhistas e previdenciários, já que as informações estão registradas de forma transparente.

E como cadastro minha empresa no eSocial? O sistema passou a valer em 2015, mas ainda com foco nas relações entre patrão e empregado doméstico. A partir de 2018, o eSocial passa a valer também para empresas e sua implementação segue um cronograma feito pelo Governo:

eSocial
(Foto: Portal do Governo)

Para se cadastrar no eSocial, basta acessar a plataforma.

Ficar atento a mudanças como essa é muito importante para o desenvolvimento da sua empresa e o ISF, além de ser o seu guia financeiro, também se preocupa com isso.

Acesse nossa plataforma e faça uma simulação: www.isfcredito.com.br. Em caso de dúvidas, entre em contato com nossos canais de atendimento.

Os 3 grandes erros ao lidar com o capital de giro

Capital de giro é, basicamente, o dinheiro que circula dentro do negócio e  mantém uma empresa funcionando durante um período de tempo.

Por ser uma reserva de recursos, saber administrar o capital de giro é muito importante para a vida financeira do seu negócio. Assim, trazemos para você os 3 principais erros na hora de lidar com o capital de giro da sua empresa:

  1. Contar com dinheiro ainda não disponível: o dinheiro de contas a receber faz parte das entradas, mas ele não deve ser um elemento de grande importância nas contas para fechar o mês, já que imprevistos podem acontecer e essa quantia não entrar no caixa. Assim, não comprometa um dinheiro que ainda não tem em mãos.

    Como lidar com capital de giro
    (Foto: banco de imagens)
  2. Desequilíbrio de prazos: esse erro está ligado ao primeiro e consiste no fato de seus prazos de pagamento e de recebimento não terem um equilíbrio, ou seja, você concede um prazo maior aos seus clientes do que aquele que seus fornecedores dão a você. Assim, você não recebe, mas tem que pagar, o que causa um desequilíbrio no capital de giro. Para evitar isso, negocie os prazos.
  3. Estoque muito maior do que as vendas: manter o estoque em dia garante que sua empresa não tenha nenhum produto em falta e isso é bom. Entretanto, o problema nesse cenário é quando o volume no seu estoque é muito maior do que seu volume de vendas, isso faz com que as mercadorias fiquem paradas e, consequentemente, seu dinheiro também, além disso, quando o produto da sua empresa é perecível, o seu prejuízo pode ser grande. Assim, entenda o fluxo de vendas de sua empresa, calcule bem sua necessidade de estoque e pense antes de aproveitar o preço baixo de alguns produtos, pois, no final das contas, o barato pode sair caro.

    Capital de giro
    (Foto: banco de imagens)

Nesse contexto, alguns fatores podem te ajudar a lidar com a administração do capital de giro: o fluxo de caixa, que já falamos aqui no blog e te mostra as necessidades da sua empresa e o ISF Crédito que é seu guia financeiro e te auxilia encontrando a melhor solução de crédito para a sua empresa. Acesse nossa plataforma e faça uma simulação: www.isfcredito.com.br. Em caso de dúvidas, entre em contato com nossos canais de atendimento.